PODCAST - O PORÃO DO OXITÃO #004 BETH CARVALHO

Opa tudo bem?

Se você conhece o programa dos nossos Djs Miguel e Marlon o "Espaço Black" que vai ao AR todo domingo à apartir das 10h da manhã, já ouviu o quadro "O PORÃO DO OXITÃO"
Onde você fica sabendo de historias jamais contadas sobre grande icones da musica mundial.

Agora nós trouxemos este quadro pra lá de especial e interessante para dentro de um PODCAST
Clique no play e faça uma viagem por historias e curiosidades, pesquisadas, roterizadas e narradas pelo proprio OXITÃO.


TODA HONRA E GLÓRIA

Agora vou desfazer a maior injustiça do universo do samba, a maior injúria da música popular brasileira... 

BETH CARVALHO, era assídua  frequentadora das rodas de samba do bloco carnavalesco cacique de ramos, por lá se reuniam poetas compositores, repentistas versadores, pagodeiros da melhor qualidade, inventores e renovadores de instrumentos do samba, tais como: tantã, repique de mão, timba, rebolo, timbinha, entre outros nomes dados, porém todos desconhecidos tais como Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Jorge Aragão, Luiz Carlos da Vila, Sombrinha, Bezerra da Silva, Arlindo Cruz e todo o grupo fundo de quintal, e tantas outras feras, ela teve a visão que essa galera seria a corrente de renovação da MPB, em relação ao samba, Beth os apadrinhou e os revelou, dando-lhe-os oportunidades e participações em seus shows, jogando-os na mídia, dando-lhe-os grande visibilidade, daí eles explodiram em sucessos no movimento "pagode" eles inovaram e dominaram o samba por décadas, por isso a denominaram a "madrinha do samba", isso é o maior crime da MPB, isso merece prisão perpétua.


BETH CARVALHO, tinha a extensão vocal contralto lírico, a sua qualidade vocal e o timbre da sua voz era penetrante e inesquecível, a afinação e a simplicidade ao tocar seu cavaquinho unido ao seu carisma pessoal e seriedade profissional a tornaram uma "lenda", Beth teve 51 anos de carreira, 33 discos gravados, 4 dvd's lançados e dezenas de sucessos inesquecíveis, ganhou 6 prêmios Sharps, 17 discos de ouro, 9 discos de platina, 1 dvd de platina, teve indicação pra o Grammy latino, recebeu centenas de premiações e dezenas de troféus, ela através da sua obra, foi a artista que mais enalteceu e transbordou o sentimento e a realidade brasileira, elevou o padrão de qualidade do samba, suas músicas sempre foram alegres, entusiastas e verdadeiros, a poesia das suas letras, a facilidade das suas melodias; seus compositores, músicos, poetas, eram adeptos dos "sambas de raiz", ela os achavam nas escolas de sambas, em pagodes de mesa e de terreiros, e nos butequins da vida, embora mangueirense, ela ganhou uma placa da Portela, por ser a intérprete que mais gravou sambas dos seus compositores, ela cantou todas as "vertentes do samba", todos os sambas regionais do Brasil, ela espalhou as sementes do samba pelo mundo inteiro.


Na EUROPA se apresentou na Grécia em Atenas, cantando em um teatro construído há 400 anos antes de Cristo e lá recebeu um busto em sua homenagem, em Portugal se apresentou em Espinho, e em Lisboa fez um show pra 300 mil pessoas, na Alemanha em Berlim, Frankfurt, e Munique, na França em Paris, Nice, Toulouse, e em Montreux nos festivais, nos anos de 87, 89 e 2005, na Itália em Milão e Padova, na Espanha em Madri, na Áustria em Viena, e na Suiça em Zurique, na AMÉRICA DO SUL, no Uruguai em Montevidéu e Punta del Este, na Argentina em Buenos Aires, nos ESTADOS UNIDOS em New York, no Carneggie Hall, considerado um dos maiores palcos do mundo, em Boston, São Francisco, Miami, Chicago, Los Angeles, e New Jersey, em Cuba em veradero, no Japão ela nunca fez show, mas teve a sua carreira musical incluída no currículo escolar da faculdade de Kyoto, ela cantou para Ray Charles, Mercedes Sosa, Fidel Castro e Nelson Mandela, ela foi aclamada pelo público e pela crítica do mundo inteiro, ela foi enredo de escola de samba, ela esgotou bilherias do planeta inteiro, a sua voz chegou no espaço sideral, com a música "coisinha do pai" e ficou conhecida como "a canção de Marte", ela foi a maior personalidade do samba, ela é "LENDA", ela foi "SAGRADA", ela foi a "RAINHA", ela foi a "IMPERATRIZ", ela foi "FARAÔNICA" de uma dinastia interplanetária chamada música popular brasileira.


Por: Marlon, Miguel e Oxitão

Programa Espaço Black

Categoria:Curiosidades

Deixe seu Comentário